Estudantes da rede estadual vão aprender alemão, italiano e turco

12

Depois do mandarim, do espanhol, do inglês e do francês chegou a vez de estudantes da rede estadual do Rio de Janeiro aprenderem turco, alemão e italiano. O modelo de Dupla Escola, em parceria com empresas, que já é adotado em 28 unidades como Nave e Nata, será estendido a pelo menos mais quatro escolas no ano que vem. Até 2018, a meta é levar a educação em período integral para 100 escolas.

Os alunos destas unidades terão opção de escolher entre o ensino técnico, de idiomas ou de competências para o século 21. Este último desenvolve habilidades como criatividade e trabalho em equipe.

O modelo de Dupla Escola, adotado em 28 unidades como Nave e Nata, será estendido para 4 unidades no ano que vem.

estudantes

Dependendo da unidade, estudantes terão a oportunidade de cursar Eletrotécnica, Biotecnologia, Automação, Mecatrônica, Reformas e Equipamentos, Gestão do Esporte, Tecnologias Digitais e Formação para o magistério em Libras. A meta do Governo é implantar ensino profissionalizante em todas as escolas estaduais até 2023. Para o secretário, Antonio Neto oferecer educação pública de qualidade, com multiplicidade de currículos, é o único caminho para atrair os jovens e mantê-los na escola. “Queremos que este seja o modelo para todas as nossas escolas do Ensino Médio”,afirma.

O método de aprendizagem, com professores em regime de dedicação exclusiva, será aplicado, no ano que vem, para estudantes do Ciep 218 – Ministro Hermes Lima, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A unidade terá Ensino Médio Intercultural Brasil-Turquia, com ênfase em Química e nas línguas inglesa e turca.

No Colégio Estadual São João, em Queimados, e no Ciep 111 – Gelson Freitas, em Mesquita, os alunos sairão com diploma de Técnico em Logística Comercial. O convênio será assinado com as Lojas Americanas e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A definição do quarto colégio a ser contemplado ainda está em fase de estudos. A previsão é que as inscrições para essas unidades estejam abertas no fim do ano ou no início de 2014.

A proposta é que elas repitam o bom desempenho dos demais colegas, que fazem estágios e são contratados pelas empresas parceiras. “Temos um estudo de escala pensado até 2023, para substituir, gradualmente, o atual modelo de educação básica do estado”, diz o secretário.

Mestres mais tempo nas escolas
Para ampliar a oferta de ensino em tempo integral na rede estadual o grande desafio é fazer com que os professores trabalhem numa única escola, em regime de dedicação exclusiva. “É imprescindível que eles permaneçam mais tempo na escola. Até para fazer o planejamento das aulas em conjunto com outros professores”, diz o secretário Antônio Neto.

Segundo ele, atualmente a maior parte (80%) dos mestres possui carga horária de 16 horas semanais. A meta, planeja ele, é aumentar a quantidade de docentes para regime de 30 horas semanais. Esforços têm sido feitos neste sentido. No mês passado, a Seeduc convocou 1.697 professores, sendo 982 para trabalhar 30 horas semanais, e 715 para 16 horas.